terça-feira, 29 de junho de 2010

Everybody's fine

Ontem, fui dispensado do trabalho pra ver o jogo. Só que, para isso, precisei adiar meu almoço pras 15h. Beleza! Cheguei, vi o jogo com os meninos, comi igual um boi e me joguei no sofá. Me recusei a beber depois de um fds de grau alcoólico elevado.
Pra minha sorte, com 4 opções de filmes para assistir, a posição jiboia poderia ser mantida por mais tempo, em companhia das quase escassas vuvuzelas.
Seguindo a sugestão do Gu, coloquei “Preciosa”. Ainda não tinha visto. E achei assim, bacaninha. Acho que esperava mais no final das contas. E ainda tive que ver uma Maryah mais feia do que nunca. Ahuahauha (desculpem, não resisti).
Mas a grande surpresa veio depois:
Sempre fui fã de Robert De Niro, e foi por ele (e pela Drew) que escolhi “Estamos todos bem”. Na minha ignorância, nunca tinha ouvido falar na produção, e pra quem não sabe, é o remake de um filme italiano de 1990 de Giuseppe Tornatore. Adorei o filme. Sutil, mas emocionante. Me identifiquei bem mais do que com a tal Preciosa (ainda bem!). Tô louco pra assistir o original, com Marcello Mastroianni e Salvatore Cascio, aquele moleque inesquecível de Cinema Paradiso.
De Niro como sempre me emocionou bastante e Drew Barrymore está mais linda do que nunca.
O trailer da versão americana não faz jus ao filme, mas vale a dica!





original:



remake

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Bento

Sou tio de novo! E daqueles tios por escolha sabe? A mãe do Bento, a Ju (Coisas da Vida) é minha amiga de infancia, desde o maternal, então eu sou tio mesmo e pronto.
To muito feliz por eles e tenho certeza que ela será a melhor mãe desse mundo!

Bem-vindo Bento! Já te amamos muito!

obs: esse post ta meio atrasado (ele nasceu dia 13, mas só agora vi a carinha dele de verdade! ehehehe)

terça-feira, 22 de junho de 2010

With Lasers

Cara, quantas vezes eu já quis que uma bomba caísse em cima dos "Jonas Brothers", ou que a Britney tropeçasse no meio do show e levantasse sem o dente da frente. Quantas vezes já não desejei o pior, tipo passar com um Big Foot em cima da Hanna Montana.
Muitas!!

ehehe
Por estas e outras que adoro HOT CHIP!

:)

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Feeling

Sabe quando a gente sente que tem alguma coisa estranha no ar?
Hoje passei o dia todo assim. Geralmente, não me engano. Pressentimento filho da mãe. Não sei se isso é típico de sagitariano, mas não nego que quando acontece isso, logo logo vem uma notícia por aí. Sou desligado, não percebo as coisas, passo batido... Mas quando algo estrala aqui na minha cabeça, hmmm, fudeu.
Aguardemos os fatos.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Heart of glass




sem confiança, nada acontece...

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Deixa

A vida saiu. E ele, no meio dela, foi como se sugado por uma onda. Nada que fazia, podia mudar seu curso nem a direção. Olhava pra cima, tentava enxergar o horizonte, procurava algo pra segurar, debatia os braços, travava os pés no chão. Todo esforço era em vão. Estava cada vez mais longe. Quando deu por si, não tinha mais como voltar. Estava cansado de brigar, de lutar. Olhar pra trás não adiantava mais. O que passou, passou. Então, conformado, ergueu os braços, fechou os olhos e, finalmente, se deixou levar.


terça-feira, 15 de junho de 2010

Vuvuzela

Vuvuzela a postos. Vamo q vamo Brasil!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Roberta Sá

Em pleno domingo morto, a Feira do Livro me trouxe um presente.
Roberta Sá entrou no palco despretensiosa, com uma linda saia comprida, cinza e até sóbria. E começou a rodar. E rodou a saia e cantou e sorriu e me encantou. Me apresentou uma cantora que não se resume à trilha da novela das oito.
Ganhei o domingo, um novo som nos meus dias e um pontinho de felicidade plena, por pelos menos uma horinha de show.





sexta-feira, 11 de junho de 2010

Feira do Livro

Ontem começou a 10ª Feira Nacional do Livro aqui em Ribeirão. Um grande encontro de ideias, obras literarias, shows, peças de teatro, exposições... tudo de graça, pra quem se interessa. Toda cidade devia ter uma assim.
Eu todo ano me esbaldo e me lambuzo.
Vem?


http://www.feiradolivroribeirao.com.br/

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Terra firme

Não.
Não to mentindo pro coração.
É ele que está com medo, que está inseguro.
Já passou por poucas e boas nessa vida e está cansado, está machucado.
Não é assim tão fácil pra ele relevar... ele pode amargurar.
E por isso respeito. Por isso cautelo. Por isso preservo.
Ninguém disse que seria tão duro e tão difícil. Nem que teriam esses obstáculos no caminho.
Poxa, por que foi dificultar? Por que teve que duvidar, viajar, ferrar com tudo?
Agora ele aguarda um chão seguro pra pisar. E isso, ninguém pode mudar.
Será mesmo que por aí tem terra firme pra ele passear?

segunda-feira, 7 de junho de 2010

"...que bonito sería tu mar, si supiera yo nadar..."

sexta-feira, 4 de junho de 2010

é bom quando as pessoas decidem pela gente. ainda mais quando nos livram de uma fria!

Vivendo e aprendendo





Meus pensamentos, às vezes, podem ser muito fortes. Nada fica no mesmo lugar depois que eu penso e executo algo. Arrepender-se faz parte do processo. Sair por cima também. Só tento acertar toda vez, o que é impossível. Desse jeito, vamo que vamo!
uma coisa é certa, a gente sempre aprende!



ps: não quero parecer deprê com estes ultimos posts.. nao sou assim nao... mas nos ultimos dias nao ando tão feliz. Normal. Precisamos da tristeza pra reconhecer a felicidade! :)

terça-feira, 1 de junho de 2010

Planos

Ele tinha planos. Destes planos que todo mundo tem: crescer, amar, acontecer na vida. Corria atrás disso o tempo todo. Trabalhava duro dia após dia, cultivava amizades, tentava organizar suas obrigações e seu dinheiro e procurava grandes amores.
O tempo passou e os trinta chegaram sem atraso. Com eles, o peso de ser adulto. Viu-se em um trabalho que não pagava suas contas, quanto mais os seus sonhos. Enxergou seu dinheiro em zona total e lembrou-se de amores que realmente não funcionaram.
Seguia fumando um cigarro atrás do outro. Era difícil admitir que se enquadrava nas molduras do que chamam de fracassado. Pensava nas expectativas da família, dos amigos, do chefe. Pensava nas suas próprias expectativas. E lembrava-se saudoso da época que sua maior preocupação era arranjar cinco “mangos” para ir para a balada. Acordava no meio da noite, pensando em como conseguiria resolver tudo isso, antes de envelhecer de verdade.
Em uma segunda-feira normal percebeu que outra tentativa tinha falhado. Mais um amor se foi... e por isso, chegaram mais decepção e mágoa. Triste, de novo, encontrava-se.
Mas a vida não é morna, nem estável. E entre um desabafo e outro, ouvindo todas as histórias que os amigos lhe diziam, deu um leve sorriso. Percebeu que não era um perdedor e sim um cara normal. Tinha trabalho, tinha amigos de verdade, tinha planos: crescer, amar e acontecer na vida. E quem é alguém sem planos? Percebeu que aos 30 estava no auge do seu caminho. E que tinha todo o tempo do mundo.
No outro dia, de cabeça levantada, seguiu para o trabalho cantarolando. Acreditou de novo que para crescer tinha que aprender. Que pra amar, tinha que aceitar. E que pra acontecer na vida, tinha que fazer a vida acontecer.

Obs: Qualquer semelhança com um slogan por ai é mera coincidência!