terça-feira, 1 de junho de 2010

Planos

Ele tinha planos. Destes planos que todo mundo tem: crescer, amar, acontecer na vida. Corria atrás disso o tempo todo. Trabalhava duro dia após dia, cultivava amizades, tentava organizar suas obrigações e seu dinheiro e procurava grandes amores.
O tempo passou e os trinta chegaram sem atraso. Com eles, o peso de ser adulto. Viu-se em um trabalho que não pagava suas contas, quanto mais os seus sonhos. Enxergou seu dinheiro em zona total e lembrou-se de amores que realmente não funcionaram.
Seguia fumando um cigarro atrás do outro. Era difícil admitir que se enquadrava nas molduras do que chamam de fracassado. Pensava nas expectativas da família, dos amigos, do chefe. Pensava nas suas próprias expectativas. E lembrava-se saudoso da época que sua maior preocupação era arranjar cinco “mangos” para ir para a balada. Acordava no meio da noite, pensando em como conseguiria resolver tudo isso, antes de envelhecer de verdade.
Em uma segunda-feira normal percebeu que outra tentativa tinha falhado. Mais um amor se foi... e por isso, chegaram mais decepção e mágoa. Triste, de novo, encontrava-se.
Mas a vida não é morna, nem estável. E entre um desabafo e outro, ouvindo todas as histórias que os amigos lhe diziam, deu um leve sorriso. Percebeu que não era um perdedor e sim um cara normal. Tinha trabalho, tinha amigos de verdade, tinha planos: crescer, amar e acontecer na vida. E quem é alguém sem planos? Percebeu que aos 30 estava no auge do seu caminho. E que tinha todo o tempo do mundo.
No outro dia, de cabeça levantada, seguiu para o trabalho cantarolando. Acreditou de novo que para crescer tinha que aprender. Que pra amar, tinha que aceitar. E que pra acontecer na vida, tinha que fazer a vida acontecer.

Obs: Qualquer semelhança com um slogan por ai é mera coincidência!

2 comentários:

Zizi disse...

Vale a pena acreditar... pq é acreditando que fazemos nossa vida acontecer! Rsss... =.)

Bia Fontoura disse...

Oi Dan! Cheguei aqui hoje através do blog do Rafa (Tanta Coisa!). E muito gostei do que li até agora.
Recém fiz 30 anos, e há pouco escrevi um pouco sobre isso também. A verdade, é que 30 é um número, assim como 18, assim como 20, assim como 1. Onde tudo começa. Sabemos onde tudo começa, mas não sabemos como nem quando tudo termina, muito menos o que de fato acontece (rá) até o fim chegar. Por tanto, fazer planos é importante sim, contanto que não feche as possíveis portas que podem se abrir de maneira inesperada. Certa vez eu li que "Pensar no futuro não é um erro, planejá-lo demais sim." Não podemos ficar cegos ou enviesados, como se os planos fossem a única certeza do que queremos.
forte abraço!!!
Bia