quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Só brincava

Não quero falar de flores.
Nem de chuva, nem de sol.
Não quero falar de beleza, de alegria.
Nem de medo quero falar.
Não quero falar de sombras, nem de pesadelos.
Muito menos falar de sonho bom.
Não quero falar de sexo, de beijos, de namoro.
Nem falar de dores, de amores, de dores de amores.
Não quero falar de homens.
Não quero falar de trabalho. Muito menos de job e prazos.
Não quero falar de cansaço, nem sobre estar de saco cheio.
Muito menos quero falar sobre responsabilidades.
Só quero matar saudade.
Dos amigos, da família, de um tempo que se foi.
Matar a saudade de mim mesmo quando era criança e não pensava em nada disso.
Matar saudade da criança que só pensava em bolo formigueiro, em brigadeiro.
Que pensava em passar a tarde toda no quintal, na frente da tv ou na piscina do clube.
Só quero matar a saudade do moleque que pensava nisso e em mais nada.
Matar saudade do moleque que não pensava em nada. E nem falava de coisas profundas.
Matar a saudade do moleque que só brincava.

15 comentários:

Serginho Tavares disse...

eu também quero matar essas saudades...

Paulo Braccini - Bratz disse...

mas o tempo passa querido e só nos resta mesmo a saudade ... fazer o q né?

FOXX disse...

ah, qm não qr matar a saudade do menino q foi? era tão melhor, tão mais fácil.

FOXX disse...

ah, qm não qr matar a saudade do menino q foi? era tão melhor, tão mais fácil.

Janaína disse...

do it!

Ro Fers disse...

Infância... O tempinho bom em que não havia problemas na vida, tudo era apenas brincadeira...

Janaína disse...

amore, se for ficar em casa hoje, relembre esse moleque às 00h no canal TCM: vai passar Conta Comigo !!!!
bjo

Frederico disse...

muito belo :)

O filho da Chiquita. disse...

que pena que eu tenho que crescer, ÔÔÔ, criança sempre eu quero ser, pra ficar brincando, pra ficar sonhando em voaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarr ♫

o Humberto disse...

Ownnn, que texto lindo, Dan. :)

Eu até que era um moleque que pensava em coisa demais, muito mais do que devia. Mas brinquei bastante também. E como já disse em alguns posts (como o do toy Story), eu sinto uma saudade desse muleque que eu fui.

Seu texto, além de me fazer imaginar a criança fofa que vc não deve ter sido, me fez pensar em mim mesmo (se pudesse daria um abraço naquele Humbertinho e diria pra ele relaxar, pq no fim daria tudo certo).

Beijo, lindão, adoro muito tudo o que você escreve.

Antonio de Castro disse...

belo momento pra eu ler esse texto.

a coisa não tá fácil por aqui tb não.
a cada dia piora.

S.A.M disse...

A criança que vive em nós sempre merece atenção! ^^

Wans disse...

Queria matar a saudade de uma época em que as meninas não eram vadiazinhas e saiam dando para os garotos, fazendo com que eles procurassem as bichinhas para chupá-los. Juro, nessa época chupei mais rola do que quando adulto. Fato!

Fred disse...

Então mata, ora!
Hehehehehe!
Bolo formigueiro era TOP!

Lobo disse...

Não ando só brincando, mas ando brincando muito mais. E me preocupando muito menos. Me sentindo meio criança de novo XD.

E tentando prolongar isso o máximo possível. Nem é dificil. Vem brincar Dan!

Beijo!